Últimos assuntos
» Nossos Filhos nos Acusarão (legendado)
Dom 14 Abr 2013 - 14:16 por jerry

» UMA FAZENDA PARA O FUTURO
Qui 4 Abr 2013 - 20:30 por jerry

» Muito Além do Peso (2012)
Sab 16 Mar 2013 - 22:11 por jerry

» Quem se Importa (2012)
Seg 4 Fev 2013 - 22:52 por jerry

» Luto em Luta (2012)
Ter 22 Jan 2013 - 20:35 por jerry

»  The Suicide Tourist (2007)
Dom 15 Jul 2012 - 23:28 por jerry

» There's no Tomorrow
Sab 5 Maio 2012 - 22:47 por jerry

Votação

Para os que possuem TVs pagas: Você já aderiu ao sistema HD?

27% 27% [ 128 ]
23% 23% [ 107 ]
14% 14% [ 64 ]
25% 25% [ 116 ]
12% 12% [ 57 ]

Total dos votos : 472


Advogado discorda de chefe da defesa e diz que causa dos Nardoni não está perdida

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Advogado discorda de chefe da defesa e diz que causa dos Nardoni não está perdida

Mensagem por Vânia em Sex 26 Mar 2010 - 10:30



Martins disse que vai repetir, quantas vezes forem necessárias, que casal é inocente

O advogado Ricardo Martins, que faz parte da equipe de defesa do casal Nardoni, afirmou nesta sexta-feira (26) - antes de entrar no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo - que vai repetir quantas vezes forem necessárias que Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá são inocentes.

O advogado também disse que discorda da posição do chefe de defesa do casal, Roberto Podval, de que esta é uma causa perdida. Na noite de quinta-feira (25), Podval afirmou que as chances de vitórias são pequenas, mas que ele faria seu trabalho com dignidade. Para Podval, o casal já entrou naquele júri condenado pela sociedade.

- Eu não concordo que se trate de uma causa perdida. Sempre tive uma intuição e sempre acreditei muito na inocência do casal.

Martins afirmou que conhece mais o processo do que Podval porque o viveu e não apenas leu. Ricardo Martins trabalha na equipe de defesa do casal Nardoni desde o início do processo, em 2008. O advogado Roberto Podval assumiu o caso apenas em 2009, quando Marco Polo Levorin - que presidia a defesa - deixou o caso.

Martins também disse que conhecia o processo melhor até mesmo que o promotor Francisco Cembranelli porque estava desde o primeiro dia na delegacia, junto com o casal.

- Eu já estava lá desde o primeiro dia, antes mesmo de o Cembranelli entrar no caso. Eu, melhor do que ninguém, sei tudo que existe nesse processo e digo com convicção que eles são inocentes e nós provaremos isso.

Ricardo Martins voltou a integrar a defesa do caso a pedido do próprio Roberto Podval. Nesta sexta-feira, ele apareceu no Fórum de Santana segurando um livro nas mãos chamado Oratória para Advogados e Estudantes de Direito.

- Acredito que, com a sensibilidade dos jurados, haverá reconhecimento da inocência do casal. É óbvio que tudo pode acontecer hoje. Não tem nada decidido.

Possível fim do julgamento

O quinto e provável último dia de julgamento do caso Isabella, previsto para começar às 9h desta sexta-feira (26), será tomado pelos debates entre a acusação feita pelo promotor Francisco Cembranelli e a defesa do advogado Roberto Podval. Antes disso, porém, pode haver leitura de alguns trechos do processo.

O enfrentamento começa com a fala do promotor que vai pedir a condenação de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá pela morte da menina Isabella, de cinco anos, em março de 2008. Cembranelli poderá defender sua tese por duas horas e meia.

Em seguida, é a vez de Podval, que defende os Nardoni. O advogado, que poderá usar o mesmo tempo, deve questionar o laudo da polícia e criticar as investigações. Para a defesa, a polícia não apurou a hipótese de uma terceira pessoa ter matado Isabella.

Após a exposição da defesa, se quiser, Cembranelli pode pedir réplica, de duas horas. E, se isso acontecer, a defesa tem direito a uma tréplica, também de duas horas. A fase de debates pode durar até nove horas, se esgotadas todas as possibilidades.

Depois disso, é a hora de os jurados decidirem sobre o veredicto (absolvição ou condenação). Os sete jurados se reunirão com o juiz, promotor e advogados na chamada sala secreta. Se houver condenação, o tempo da pena será determinado pelo juiz Maurício Fossen.

R7

_________________
Quando você se sentir sozinho, pegue o seu lápis e escreva. No degrau de uma escada, à beira de uma janela, no chão do seu quarto. Escreva no ar, com o dedo na água, na parede que separa o olhar vazio do outro. Recolha a lágrima a tempo, antes que ela atravesse o sorriso e vá pingar pelo queixo. E quando a ponta dos dedos estiverem úmidas, pegue as palavras que lhe fizeram companhia e comece a lavar o escuro da noite, tanto, tanto, tanto… até que amanheça.

Rita Apoena
avatar
Vânia
Administradora

Feminino Mensagens : 4027
Data de inscrição : 07/04/2009
Idade : 53
Localização : São Paulo

http://visaoemfoco.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum